28.8.16

Crônica diária

 Minha crônica sobre a ultima de Fernando Sabino

Eu me emociono facilmente. Mas isso não tira o mérito do Sabino que procurava um tema pitoresco ou irrisório no cotidiano das pessoas para escrever "A ultima crônica" e coroar mais um ano desse exercício. Faltava-lhe inspiração e a caminho de casa, até para adiar o momento de sentar e escrever, entrou num botequim da Gávea para tomar um café junto ao balcão. A falta de inspiração o assustava. Foi quando um negro magrinho acompanhado da mulher e filha de fita cor de rosa espetada no cabelo encaracolado, entraram no estabelecimento e foram sentar silenciosamente no fundo à mesa ao lado da parede espelhada. A garotinha com seu vestido branco e pobre estava visivelmente tensa. Prestava atenção a tudo. Sentada, suas perninhas não alcançavam o chão, mas também não balançavam. O pai discretamente tira do bolso algumas notas de dinheiro e confere. Ao garçom fez o pedido apontando para o balcão que em seguida levou um pratinho com uma única pequena fatia de bolo amarelo, e uma Coca-Cola. Os três pareciam hipnotizados com a fatia recém chegada, quando a mãe quebrando a hipnose procura aflita alguma coisa na bolsa que estava no colo. Retira três pequenas velas brancas e as coloca na fatia do bolo. O pai se apressa a riscar um fósforo e acendeu-as. A garotinha, com o queixo na altura do mármore cinza da mesa, assopra apagando de pronto. Bate palpa, e balbucia algo que os pais acompanham: "Parabéns a você..."A mãe sorrindo com a alegria da filha pega as velas de volta e guarda na bolsa. A menina com as duas mãos pega a fatia de bolo. O pai que até aquele momento não havia se dado conta do olhar do Sabino, ao cruzarem os olhos, tentou abaixa-los, mas resolveu encarar, e em seguida abriu um largo sorriso.Termina a crônica dizendo que era assim que gostaria que fosse a ultima crônica: que fosse pura como aquele sorriso.
E eu me emocionei.

Um comentário:

João Menéres disse...

A vida é verdadeiramente feita de espantosos momentos, por mais modestos que possam ser.
A alegria intensa dessa menina supera a pobreza dos Pais mas valoriza o amor paternal.

AS POSTAGENS ANTERIORES ESTÃO NO ARQUIVO AÍ NO LADINHO >>>>>

.

Only select images that you have confirmed that you have the license to use.

Falaram do Varal:

"...o Varal de Ideias é uma referência de como um blog deve ser ." Agnnes

(Caminhos e Atalhos, no mundo dos blogs)

..."parabéns pelo teu exemplo de como realmente se faz um blog...ou melhor tantos e sempre outstandings...".
(Vi Leardi )

Leiam também:

Leiam também:
Click na imagem para conhecer

varal no twitter

Não vá perder sua hora....

Blog não é tudo, tudo é a falta do blog ....
( Peri S.C. adaptando uma frase do Millôr )
" BLOG É A MAIOR DAS VERTIGENS DA SUBJETIVIDADE " - Maria Elisa Guimarães, MEG ( Sub-rosa )