31.12.15

Despedindo de 2015

Despedindo de 2015

Crônica diária

Depoimento cabal

"Sabemos que, conforme citado por Plínio, o Velho, em sua História Natural, o grande pintor Apeles (século IV A.C.) tinha por costume não passar sequer um dia sem exercitar sua arte, ainda que só traçando uma linha ou outra. Essa prática é o fundamento de um provérbio latino que, adotado por alguns notáveis escritores,  permanece vivo há perto de 2.500 anos: NULLA DIES SINE LINEA. No reencontro com  seus textos praticamente diários, Eduardo,  constato a evidência de seu aprimoramento literário, ocorrendo-me de pronto a lembrança da locução latina. Parabéns. José Luiz Fernandes."
Um dia após a morte do leitor Henrique B. Larroudé, que também morreu sem atender ao meu convite para escrever umas linhas sobre meus escritos, recebo do José Luiz esse "cabal depoimento". A ele respondi: "Fico muito feliz em ler e ouvir isso. Ontem morreu o leitor Henrique B. Larroudé, que me corrigia quase que diariamente. Era sempre uma crase a mais ou a menos. Como você, muito exigente gramaticalmente. Como você nunca aceitou escrever umas linhas para a capa de um dos meus livros. Bobagem. A vida passa, e achamos que temos uma importância que na verdade não temos. O depoimento dele nunca terei. Continuo esperando vir a ter o seu, um dia desses.
Ele retrucou: "Acabo de dar um depoimento cabal e você ainda reclama. Quanto às capas, peço que seja tolerante com minha arraigada modéstia e hiperbólica autocrítica."
Com essas palavras entendi que teria que continuar aguardando para publicar nas capas, mas estava liberado para faze-lo aqui. 

Comentá rios que valem um post

Gaspar de Jesus deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Comentários que valem um post":

Muito obrigado amigo Eduardo por publicar o meu rabisco sobre as placas toponímicas que deveriam ser colocadas e conservadas para "homenagear" a ladroagem que, por via da política, se instalou nesta linda terra a que chamamos Portugal.
Deixo aqui um forte abraço para si e toda a família Lunardelli.
Gaspar de Jesus

Postado por Gaspar de Jesus no blog . em terça-feira, 29 de dezembro de 2015 21:56:00 BRST´--00

30.12.15

Mais um ano na Piacaba

Com foto de Debora Novaes, o autor do blog, Helena, Isabela e seu pai Eduardo Novaes

Crônica diária

O mundo real

O mundo não é um hotel. Mas um grupo de hotéis de várias classes e categorias se aproxima de uma boa definição de mundo. Todo salão de hotel obriga o cidadão a afetar naturalidade. Os hotéis costumam ser desumanos e fingidos. Por isso existem as pousadas e albergues. Os hotéis, como já dissemos, são separados por classes e categorias. Isso não garante que seus frequentadores tenham a mesma classe nem categoria. Basta ter um cartão de crédito. Há hotéis com todos os serviços e mordomias, e os self service. Como no mundo há os que se servem dele, e os que carregam as malas. Café da manhã todos tem. Alguns privilegiam  esse item, menosprezando a idade e conforto dos colchões. A última impressão é que fica, além da dor nas costas. O cheiro, luz e aparência dos corredores de hotéis são muito similares. Eu já morei em hotel e estive hospedado em hotéis de todas as classes. Posso garantir com margem de erro muito baixa: nada como voltar para casa.

Comentários que valem um post

Ducha Dorei Feliz Ano Novo!Deus queira termos sempre um vigilante atento como vc...Mas como ninguem é de ferro,desejo a sua família muita saúde e coragem para viver e ensinar bons costumes, que teem de sobra,até para ajudar esse povo tão necessitado.@Eduardo Penteado Lunardelli,parabéns por vc existir e nos dar presentes maravilhosos como a leitura de seus textos!!

29.12.15

Pequena artista

Helena Novaes e sua pintura na Piacaba

Crônica diária

Wishful thinking , WhatsApp e Uber

1º Só o título desta crônica se refere à modernidade. Ela continua a ser escrita em português do Brasil. Tudo conforme o ultimo acordo ortográfico, sempre que possível. Tenho um leitor no Recife que abusa do termo: "Wishful thinking". Ele  sofre de uma permanente falta de "desejo" que as coisas mudem. É um eterno acomodado. Um dos tais legalistas burocráticos. Com uma personalidade talhada para viver obedientemente nos regimes da Coreia do Norte, ou de Moçambique e Guiné-Bissau. É preciso sonhar, é preciso contestar, é preciso reagir, agir, e ter a coragem de assumir posições de risco. Apostar no quase impossível. Não defender o óbvio, por definição. Não temer mudanças, não deixar que o caos se instale, em nome de princípios relativos. Não se deve matar um urso por puro prazer sanguinário e desumano, mas ao receber um abraço desse animal pelas costas, ou você se livra e mata o bicho, ou morre. É disso que se trata. Estamos no Brasil defendendo a vida de milhões de brasileiros que estão na miséria, ou passarão a fazer parte dela. E quando escrevemos apontando saídas e soluções somos adjetivados de "wishful thinking". 
2º Nesse mesmo país cujo governo federal encontra-se nos seus estertores, apesar de constitucionalmente ainda deter três anos de mandato, delegado por cinquenta e quatro milhões de votos, dos quais, um ano depois das eleições, não conta com o apoio de vinte porcento, a justiça manda tirar do ar o aplicativo WhatsApp. Foi por poucas horas, é verdade, porque medidas atrasadas, dignas do regime da Coreia do Norte, ou de Moçambique e Guiné-Bissau, não poderiam prosperar mais do que algumas horas. Ainda. Motivo da suspensão: detentos e membros do PCC estariam fazendo uso, e a empresa responsável se negando a fornecer nomes. Nosso país esta se alinhando aos mais atrasados do mundo, na linha de proibir o aplicativo do táxi Uber. O prefeito de São Paulo, emérito representante do atraso, proíbe o Uber, e cria, ele próprio, um novo táxi. Serão pretos. Só e unicamente a cor dos veículos será parecida com os do Uber. O preço da tarifa, que é o que importa, além de um bom serviço, será mais cara do que o táxi comum. Outro absurdo desse Prefeito são as faixas vermelhas pintadas nas ruas e avenidas, chamadas de ciclovias, ajudando a congestionar o transito. Berlim é toda servida por ciclovias, porque é totalmente plana, e elas não ocupam as pistas dos autos motorizados nem as calçadas dos pedestres. Foram planejadas. São Paulo não tem essa vocação por conta da topografia. Aqui estamos mais para alpinistas do que para ciclistas.

Comentários que valem um post




'' APENAS UMA TARDE NA PIACABA PARA CONHECER SUAS OBRAS, FOI O BASTANTE PARA PERCEBER QUE ALÉM DE EXCLENTE ESCULTOR E ANFITRIÃO, HAVIA ALÍ UM GENTLEMAN.... DEPOIS DISSO A INTERNET ME PROPORCIONOU A OPORTUNIDADE DE INTERAÇÃO, PERCEBENDO TAMBÉM, UM EXCELENTE CONTISTA CRONISTA E ESCRITOR QUE SEMNALMENTE NOS BRINDA COM SEUS COMENTÁRIOS, CRÍTICAS E CRÕNICAS.... EDUARDO PENTEADO LUNARDELLI É "UM CARA HABITADO" QUE EU GOSTARIA DE TER SEMPRE POR PERTO....." Nelson Ferreira de Souza - Porto Alegre - RS. março/2015.

28.12.15

Visitas na Piacaba

A bonita família do Eduardo e Debora Novaes, na Piacaba

Crônica diária

 Comentários póstumos

Vou me referir a quatro crônicas de Maio para cá, e fazer com elas minhas homenagens ao leitor que se foi.
 Em 24 de Novembro deste ano, portanto há um mês e três dias, escrevi que: "Sempre fui a favor de fazer homenagens, a quem merece, em vida. As póstumas, e mais comuns, podem e devem continuar sendo feitas, mas o importante é o homenageado poder em vida tomar conhecimento daquilo que, em geral, só é dito e escrito depois da sua morte. Foi por essa razão que criei um blog onde homenageio pessoas vivas. Vivíssimas. O blog se chama "1.blog. a+"(http://1bloga.blogspot.com.br/)."
Mais uma vez não deu tempo. 
Tudo começou em seis de Maio com a crônica em terminei dizendo: "Era público e notório que as medidas econômicas do primeiro mandato da Dilma levariam o estado brasileiro a descumprir metas de inflação, para dizer o mínimo. Quebraram a Petrobras. E não reconhecem. São duros na queda. E nós, eleitores, umas antas." (Sem negrito na ocasião)
 Ele, um leitor assíduo e atento, durante muitos meses, me alertava, discretamente, que era sua marca mais forte, sobre erros de grafia, concordância, e principalmente crases. Perfeccionista não admitia um texto com "equívocos". 
Éramos conhecidos. Nunca fomos amigos. Tínhamos como amigo comum, Beto Guerra. Com a morte dele, nossas relações, pela internet, se estreitaram. Chegou a angariar leitores para as minhas crônicas diárias. Dizia que lê-las era a primeira coisa que fazia ao levantar. Até a manhã de seis de Maio. Reagiu de forma contundente como nunca imaginei pudesse alguém reagir. Me escreveu que ele "não era uma anta". "Que nunca tinha votado no PT, e portanto não se considerava uma anta". Em resposta escrevi que sendo assim ele poderia deixar de se considerar. Nunca mais teceu comentário algum, e nem mesmo deixou rastro de que continuava lendo minhas crônicas. Não houve mais "Curti" da sua parte, salvo engano, uma única vez, de seis de Maio para cá. Perdi um leitor amigo. Faltou humor, e hoje posso imaginar que tenha sido por conta da doença que descobriu. Será? Não foi ela quem o matou. Foi um infarto violento. 
Claro que senti a perda do leitor. Cheguei a provoca-lo vinte e dois dias depois que rompeu comigo. Escrevi: 
28/05/2015
 "Somos literalmente umas antas. Caminhamos bovinamente para o que se pode chamar, "com a devida vênia", de venezuelização."
Ele não se manifestou.
Em 09/06 voltei a provoca-lo:
"Carneiros, galinhas e antas
 Há três semanas me auto denominei, e a todos nós, eleitores brasileiros, de antas. Hoje, três semanas depois, leio no O Antagonista, que o Diogo Mainardi e Mario Sabino, publicam a nota: "Nós as galinhas" (http://www.oantagonista.com/posts/nos-as-galinhas), e Cândida Botelho escreve: "Infelizmente é isso que estamos vendo, (uma foto de carneiros) o povo emburrecendo a cada dia...tem um estudo feito pelos os ingleses, a população mundial está ficando menos inteligente.(https://www.facebook.com/candida.botelho.3?pnref=story). Fico menos apreensivo por não estar só nesse zoológico."
Dia 26 de Dezembro ultimo a brincadeira acabou. 
Foi mais um leitor amigo, anta ou não, que deixei de homenagear em vida. 
O que teria eu dito na crônica em vida? Tudo que digo nesta homenagem póstuma. Eu fiquei devendo uma crônica, e ele se foi sem aceitar escrever umas poucas linhas para um livro que publiquei. Nunca disse as razões pelas quais não aceitou o convite, sempre alegou falta de tempo, mas o certo é que não quis associar seu nome aos meus escritos. Claro que isso me ofendeu. Mas não tanto quanto o "anta" como eleitor, deixou-o ofendido. Quanta bobagem. A vida é tão curta. E foi assim que o Henrique B. Larroudé  passou por aqui. 

Comentários que valem um post



Gaspar de Jesus deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Cidade do Porto, Portugal":

O nosso querido Portugal tem sido um alforge de "malabaristas"! José Sócrates é um bom exemplo do que aqui digo. O autor desta placa bem que poderia agora colocar outras placas dedicadas a: (Dr)Pedro Passos Coelho, (Dr)Paulo Portas, ou ao dignissimo (Prof/Dr) Aníbal Cavaco Silva. Muitos outros nomes poderia apontar, mas já me daria por satisfeito se "homenageassem" estes quatro figurões.

Postado por Gaspar de Jesus no blog . em sábado, 26 de dezembro de 2015 21:43:00 BRST 
***************************************************** 

 José Luiz Fernandes deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Crônica diária":

A Hemingway e a Paulo Mendes Campos eu acrescentaria algo de François Mauriac (prêmio Nobel de 1952):
"Um escritor é essencialmente um homem que não se resigna à solidão. Cada um de nós é um deserto."

José Luiz

Postado por José Luiz Fernandes no blog . em sábado, 26 de dezembro de 2015 11:09:00 BRST 

********************************************************************

27.12.15

Desembarque

Guilherme, Adriana e Glória, desembarcando em Floripa

Crônica diária

Veríssimo e Gabeira

Dois intelectuais, de origens e currículos diversos, me agradam muito. Gabeira e Luiz Veríssimo. A lucidez dos últimos textos, do insuspeito Gabeira, sobre a Dilma, e sobre o impeachment, são impecáveis. Em um deles, publicado recentemente no Estadão, demonstra a insensatez de a propósito de defender um "diploma", pedaço de papel com uma fitinha verde amarelo, deixam o pais liquefazer-se. Não posso estar mais de acordo. E o Veríssimo, apesar de um viés socialista bobo, tem textos de humor maravilhosos. Também recentemente fez um paralelo entre a disputa do Eduardo Cunha e a Comissão de Ética, para provar que não mentiu ao dizer não possuir conta na Suíça, quando na verdade, tem dinheiro em fundos. Um problema semântico. E compara ao do Bill Clinton quando se livrou do impeachment ao negar que tenha feito sexo no salão oval com uma estagiária. Felação não é sexo. Mais uma vez questão semântica. E a esse texto deu o título de "Felação premiada", numa óbvia referência às delações muito em voga.

26.12.15

Cidade do Porto, Portugal

Enviada por José Luiz Fernandes

Crônica diária

Bloco de notas nº 2

O escritor tem uma tentação biológica de escrever.

*****************************

"O hambúrguer não estava grande coisa. Pudera! Que esperar de um prato de origem germânica, naturalizado norte americano, preparado por uma anglo-escocesa, com o fito de agradar ao gosto de mineiros e cariocas, e à base duma receita francesa? Informação demais atrapalha." PMC

******************************

Se a composição escolar de uma criança é pedante, desconfiai: aí vem um escritor. Se o texto de um escritor adulto for pedante, tenha a certeza de que ele não amadureceu.

******************************

Há escritores que são mais interessantes nas obras que escreveram sobre eles, do que em seus próprios romances. Um exemplo? Hemingway.

******************************

"Nada  mais espetacular foi jamais escrito sobre a solidão, quando santa: "Que luxo estou sozinho". Só poderia ser uma mulher: Virginia Wolf. " Paulo Mendes Campos

*******************************

Quando estou no campo sinto uma nostalgia vegetal, e quando estou na praia, uma preguiça marítima. Sou urbano.

*******************************

Com o tempo estou cada vez mais desembaraçado dos inconvenientes da preocupação de escrever bem.

*******************************

25.12.15

Não faz 65 anos

 Birmingham, Alabama (ano 1951): We wash for white people only
Enviada por José Luiz Fernandes

Crônica diária

Bloco de notas nº 1

Parafraseando Paulo Mendes Campos que escreveu: "Psicologia microscópica: é na vizinhança que fazemos nossos melhores e piores amigos."
Digo eu: é na família que encontramos nossos piores críticos.

***********************************
Eu me vingo, às vezes, dizendo a verdade.

***********************************

Há pessoas que não sonham. Vivem seus pesadelos. Acordam os sonhadores com seus roncos pessimistas.

**********************************

"De uns tempos para cá o Girassol passou a sofrer influência de Van Gogh." Paulo Mendes Campos

**********************************

"Há um quarto alvejado com nata de leite". PMC

**********************************

"A alma, sem finalidade alguma, entregue à ociosidade, se aborrece". André Gide

**********************************

24.12.15

Mulher lendo à janela




Foto de André Kertész, 1963 (Greenwich Village, NY)

Crônica diária

 O nariz magnífico

Foi mais uma vez lendo Paulo Mendes Campos que encontrei a descrição do "o Magnífico", apelido dado pelos amigos a um indivíduo que "de magnífico tinha o nariz". "Um estupendo nariz, grego pela perfeição de suas linhas, mas de um helenismo arrependido, tardiamente resolvido a ser arábico. Entre o paganismo ático e o misticismo muçulmano, brilhava o nariz a que nem mesmo faltavam o fremir inquieto das narinas mediterrâneas. Era um nariz misto, mas perfeito". Insofismavelmente magnífico é o texto e descrição do Paulo. E me remeteu à uma velha história que meu amigo Nogueira contava. Dizia ele que havia uma relação direta entre o tamanho do nariz masculino com o do pênis de seu portador. Certa vez, dizia ele, uma rapariga de reputação duvidosa e muito versada em matéria peniana, aceitou o convite de um rapaz narigudo para transarem. Claro que a expectativa dela era toda focada no tamanho avantajado do nariz do parceiro. Ao ficarem nus, ela não se conteve: "Nariz mentiroso, hem?"

Comentários que valem um post

Jorge Pinheiro deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Crônica diária":

A beleza é apenas um chamariz, tal como as flores de cores mais espampanantes são feitas para nos atrair. Mas muitas vezes é nas flores mais singelas que se esconde o mel.

Postado por Jorge Pinheiro no blog . em quarta-feira, 23 de dezembro de 2015 09:40:00 BRST

***************************************************************************

23.12.15

Vinil

Enviada por José Luiz Fernandes - Vinil

Crônica diária

 A beleza e o desejo sexual

Em uma das minhas crônicas, dias atrás, citei Vinícius de Moraes e uma das mais célebres frases: " Me perdoem as feias, mas beleza é fundamental". Volto ao tema para contradize-lo. Me amparo no escritor francês Charles Lalo (1877-1953) que estudou o assunto em "La Beauté et l´instinct sexuel" operando uma reabilitação da fealdade. "A beleza - diz ele - não é talvez o mais curto e o mais ativo dos filtros do amor. Ha na verdade outros mais íntimos e mais mágicos." Citando são João Crisóstomo , nos põe a par desse trecho incisivo: "muitos homens que frequentaram muitas mulheres belas entregaram-se às mulheres mais feias; donde se conclui, evidentemente, que o amor não se prende à beleza". Já Stendhal fala que quando se chega a amar a fealdade é que a fealdade é a beleza. E ocorre me de pronto dois significativos exemplos: o Príncipe Charles / Diana / Camila (Duquesa de Cornualha), e do ator inglês Hugh Grant / Liz Hurley / Divine Brown (prostituta de Los Angeles).

22.12.15

Presente de aniversário

Obrigado à minha leitora, mais de um mês atrasado...

Crônica diária

Existem algumas regras, e não há exceção.
Intelectual que se presa é sempre de esquerda. ( Há os de centro e direita, mas não são reconhecidos pela esquerda. Portanto não existem).
Intelectual para ter o respeito dos seus pares tem que ser pobre, feio, e não tomar banho. (= a fedido).
Intelectual não toma sol. Não gosta de burguês (que são todos os indivíduos que não são operários), nem de capitalismo. Fala mal dos Estados Unidos e sonha morar em Paris.
Intelectual defende a natureza, os animais, e os políticos de esquerda, mesmo que esses sejam burros, incompetentes, despreparados, corruptos, cínicos, mentirosos, venais, e até pode ser milionário. Se forem de esquerda contam com o apoio irrestrito. (Chama-se a isso espírito de corpo. O contrário seria espírito de porco).
Intelectual torce pelos índios contra John Wayne.
Intelectual apoia greve seja ela qual for. Justas ou não.
O homem intelectual usa gravata ou boné vermelho, e barba por fazer. O aro dos óculos é em geral redondo. As mulheres, em sua maioria, muito feias, não se depilam e usam cabelo black power.
Todo intelectual apoia os movimentos GLS, invasões de terra, e de imóveis urbanos, desde que não sejam os seus, evidentemente.
São a favor de todas as minorias, menos quando elas são brancas, ricas, e preparadas culturalmente. São contra as elites, sejam elas quais forem.

21.12.15

NY - Varal

Enviada por José Luiz Fernandes - NY 1940

Crônica diária

Vale a palavra

No jogo do bicho a palavra vale. Embora o bicheiro seja um contraventor. Querem os investigados da  operação Lava Jato desqualificar as delações premiadas de Alberto Youssef por se tratar de um doleiro. Igualmente como a palavra do bicheiro, a de um doleiro é o que vale. Nas transações proibidas, o que vale é a palavra, para o bem ou para o mal. Elas não podem ser escritas, contabilizadas, declaradas, logo, é a palavra o capital do negócio. Acreditem mais nas palavras de um doleiro do que no silêncio de um padre.

20.12.15

Estendendo roupa

Enviada por José Luiz Fernandes (1940)

Crônica diária

Santo Google

Estava lendo crônicas do Paulo Mendes Campos publicadas na revista Manchete na década de 70, e me deparei com a palavra "espinicado" no meio de uma frase qualquer. Claro que sei o que quer dizer, ou queria dizer o Paulo à época. Passaram-se quarenta e cinco anos e "espinicado" saiu completamente de moda. Nunca mais li ou ouvi essa palavra. Meu corretor de texto não a conhece. E me veio à mente como era complicada a vida do leitor antes do Google. Haviam os dicionários, eram grossos e pesados, mas nem sempre estavam à mão, e muitas vezes desatualizados. Edições antigas. A língua é viva. As palavras com o passar das gerações vão caindo em desuso, são aposentadas, esquecidas, ou reinventadas. A linguagem escrita e oral usada na internet, ou pelos jovens, é quase um dialeto se comparada ao do tempo do Paulo Mendes Campos.

19.12.15

Varal em NY

Enviada por José Luiz Fernandes ( NY 1946)

Crônica diária

Sobre mulheres honestas e outras nem tanto

A literatura esta repleta de referências ao tema. Não sei se devemos classificar de honestas ou não as que exercem a mais velha das profissões. Acredito que entre elas existam também as desonestas. Aquelas que prometem o que não entregam. Paulo Mendes Campos dizia que um amigo seu, de nome Antônio, disse certa vez: "Não se meta com mulher honesta, que sai caro paca". Esse Antônio, amigo do Paulo tem toda razão. O termo "paca", usado por ele, na década de setenta, queria dizer "para caralho". Nem o Antônio, muito menos o Paulo ousariam usar um termo tão chulo como esse. Hoje, porém, é politicamente correto. Paca, além de um animal, seria um eufemismo. Mas voltando às putas, e às histórias do Paulo, conta que seu compadre Luís tinha uma tia em Bauru "que caiu ou entrou na vida, com quem cai ou entra numa piscina. Já arrependida depois do primeiro quinquênio saiu-se com essa: "Pois é, a coisa ainda mais rendosa do mundo é mulher honesta"". E por fim volto a contar uma passagem do meu avô e seu amigo, e vizinho de fazenda, Antônio Joaquim de Moura Andrade ( pai do senador Auro de Moura Andrade). Os dois estavam no corredor do vagão leito, da Estrada de Ferro Noroeste do Brasil, quando passou por eles uma lindíssima mulher, com um chapéu de abas largas e esvoaçante, e uma longa, e sofisticada piteira. O Moura Andrade se apressou em acender o cigarro da madame. Meu avô, logo que se viu a sós, segredou ao amigo: " Foi o palito de fósforo mais caro da sua vida".

Comenhtários que valem um post

Li Ferreira Nhan disse...
Pode ser sorte, tomara! Mas acho que depende da ave.
Depois vc conta.
Ontem senti que todas as aves de rapina defecaram sobre nossas cabeças.

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015 01:47:00 BRST
*********************************************
Excluir

18.12.15

Este também esta completamente políticamente incorreto...srsrs

Enviado por José Luiz Fernandes

Crônica diária

Pela segunda vez

A primeira foi num 15 de Novembro, há uns vinte anos atrás. Foi de urubu. Dia 12 deste mês, foi um aracuã, quem defecou na minha cabeça. Dizem que é sinal de sorte. Tomara.
PS- Ortalis Guttata, ou popularmente aracuã tem o porte de uma galinha, e possui uma coloração geral parda, ventre acinzentado e garganta avermelhada. Mede 48 cm. 

Comentários que valem um post

Acertei uma, errei outra
Dia 16 passado as 11:10horas, postei este comentário aqui na minha página. Ninguém ainda havia falado no nome de um eventual sucessor do Joaquim Levy. E eu disse:
"Meu amigo José Luiz Fernandes informa que o Jornal Valor publicou que o Joaquim Levy já acertou sua demissão do cargo de Ministro da Fazenda. Dilma pediu que ele ficasse mais alguns dias até encontrar um substituto. Será que alguém em pleno juízo aceitaria? Certamente assumirá a Fazenda Nelson Barbosa, Ministro do Planejamento, atual homem forte do governo. Ele é um dos grandes responsáveis pelos desastres econômicos de 2014. No Planejamento qualquer um serve."
Acertei em cheio.
Errei foi na previsão do que o STF iria decidir. Não contava com um alinhamento escandaloso dos Ministros comprometidos com o PT e Dilma, da forma como agiram. Não interpretaram a constituição. Legislaram a favor da Dilma. Descaradamente. Traíram o voto do Luiz Edson Fachin. Agora o Senado pode por maioria simples derrubar o que a câmara decidir por maioria qualificada, isto é, 2/3. Um absurdo. Mais um cometido por esse tribunal que se apequena e se confunde com o que há de pior no Congresso e no Governo.
Eu terminava meu comentário dia 16 dizendo: "Talvez tenhamos que esperar pela decisão do TRE, e a cassação da chapa Dilma/Temer. "
Continuo achando que será a derradeira esperança. Mas só em Março de 2016, ano que já se inicia completamente contaminado pelo agravamento da crise. (19:30)

17.12.15

Imagine nos dias de hoje!

Enviado por José Luiz Fernandes

Crônica diária

O melhor é ser avô

Dizem que é porque só usufruímos dos breves e prazerosos momentos de convívio com os netos. É verdade. Cumprimos apenas as tarefas que nos permite a idade. Não se é avô sem antes termos sido pais. Mas na idade em que tivemos filhos, as atividades, atribuições e deveres, consumiam todas as nossas energias e atenções. Não percebíamos a beleza e graça de uma criança. Tínhamos exatamente energia, ilusão, e esperança, tudo que nos falta hoje. Não restava o tempo para contemplação, admiração, e observação que dispomos agora. Os netos recém nascidos são criaturas absolutamente divinas, puras, honestas, verdadeiras. Aproveitai-os. Depois terão seus defeitos ou qualidades e voltarão a nos proporcionar esperanças, ilusões e certezas. É a terceira fase da nossa existência. Segunda geração. Tudo que nossa energia não conseguiu realizar enquanto produtivos, nossos filhos foram nossas ilusões, esperanças e certezas, e elas se renovam pela terceira vez. Quanto  menos energia física, ilusões, e esperanças, mais certeza de que os nossos netos são melhores do que fomos. A natureza foi sábia em nos proporcionar o prazer de conviver, sem obrigações, com os netos que são o mais vivo e importante registro de nossa existência. A prova de que viver vale a pena. Nos próximos dias nasce o nosso sexto neto. Renovam as esperanças, ilusões e certezas.

16.12.15

Outros tempos

Enviado por José Luiz Fernandes

Crônica diária

 O devido processo legal

A diferença entre regime de exceção e uma democracia republicana é que as instituições representadas pelos três poderes funcionem em harmonia e independência. O dono do poder é o povo que se manifesta livremente através do voto. Os eleitos são seus representantes no congresso, e no poder executivo. O judiciário não é eleito pelo povo, mas dele se espera imparcialidade e respeito as leis. Notadamente à lei maior, a constituição. Tudo isso é na teoria. Acontece que a carne é fraca. Os políticos são seres humanos e cheios de defeitos. Entre suas maiores deficiências esta o egoísmo, a falta de responsabilidade pública, o imediatismo, e a certeza da impunidade. Vale dizer: pensam em si próprios antes da nação ou do interesse dos seus eleitores. A maioria das vezes defendem, depois do interesse próprio, o interesse dos que financiaram suas campanhas. As empresas ou pessoas que financiam campanhas, muitas vezes, tem interesses opostos ao dos cidadãos comuns. Algumas vezes interesses escusos. Quem pode o mais, pode o menos. Quem colocou no poder uma determinada pessoa e partido, pode e deve destituí-lo quando achar necessário.  Para tanto a constituição prevê mecanismos. O povo vota livremente e quando não esta satisfeito com os resultados práticos do exercício das funções, sai às ruas, e vai aos meios de comunicação social, expressas sua insatisfação. Seus representantes, deputados e senadores são coagidos a agir. O processo é denominado impeachment, e tem um rito. O impeachment pode ser proposto por qualquer brasileiro. Não é rápido porque garante o amplo direito de defesa dentro do que chama "devido processo legal". É um procedimento eminentemente político. Mas como implica na necessidade de haver um crime, para ser aberto, é jurídico, também. Por essa razão quem preside o Senado, na sessão de julgamento, é o presidente do STF. Acontece que as opiniões se dividem quanto à caracterização do crime previsto na lei. Lá se fala de crime que o acusado tenha cometido em benefício próprio. Usar dinheiro sujo, pixulecos da Petrobras, em campanha eleitoral é crime, e os beneficiados são os candidatos eleitos. Logo no caso das eleições de 2014 houve crime. A Dilma e o Temer podem perder o mandato. Podem ter sua chapa impugnada pelo TRE. Ironicamente todos os outros monstruosos crimes cometidos pela Dilma no exercício da presidência do conselho da Petrobras, das pedaladas de 2014 e de 2015, não são considerados crimes passíveis de impeachment. Como no caso presente, o impedimento da Dilma e Temer, quem assumiria seria o presidente da câmara, investigado na operação Lava Jato, e ora procrastinando uma decisão da comissão de ética para não ter seu mandato cassado. Que situação se encontra o Brasil!

15.12.15

Colégio de Cataguases

Enviado por José Luiz Fernandes

Crônica diária

Uma luz no horizonte

Nem sempre escrevo tudo o que penso. Para espanto de algum petista adversário, não ficamos repetindo frases feitas. Em geral importadas. Há mais de dois meses tive uma longa conversa, depois  de mais de trinta anos sem nos falar, com o Fernando Ulhôa Levy, um espécime raro, que apesar de quase surdo, fala baixo, pausadamente e com muita inteligência e propriedade. Fala como falam os Papas. Cheio de fé, esperança e humildade. Na longa conversa chegamos a traçar cenários possíveis para o desenrolar do drama político/econômico do país. E foi naquele papo que lembrei o nome do Jarbas Vasconcelos para Presidente da República. A situação do deputado Eduardo Cunha ainda não havia chegado onde chegou. Ele passou a não ter nenhuma condição ética ou moral para presidir a câmara e ser o segundo na linha sucessória da Presidência da República. Mas parece que os fatos estão levando meu desejo tornar-se realidade. Se o Cunha renunciar para salvar o mandato parlamentar, o que por si só já é vexatório para o parlamento, abre-se uma oportunidade ímpar de fazer do seu companheiro de partido, PMDB, seu sucessor. O político e empresário respeitado e experiente transita com facilidade entre seus pares de partidos de oposição. Crítico feroz do atual governo tem todos os instrumentos intelectuais e morais para assumir a eventual vaga da Presidente Dilma, seja por impeachment ou cassação da chapa Dilma/Temer. Na primeira hipótese, assume o Temer, e o Jarbas será o presidente da câmara que com sua independência habitual conseguirá pacificar e unificar o Congresso. Finalmente vejo com clareza e alegria que há luz no horizonte. Não serão tempos fáceis porque o desastre econômico que nos encontramos vai exigir grandes sacrifícios. Mas há o alento de que faremos sob o comando de políticos experientes e corajosos as reformas de que o Brasil reclama.

Comentários vque valem um post

Eduardo Penteado Lunardelli Jarbas Vasconcelos para o lugar de Cunha.

Não pode haver candidato melhor do que ele. Se a chapa Dilma Temer for impugnada em março pelo TRE, Jarbas assume a presidência e faz o governo de transição para 2018.


**************************************
 
João Menéres deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Filomena Gonçalves":

Será um livro com o peso da verdade e a leveza das ilustrações.
Um livro para ter à mão.

Postado por João Menéres no blog . em segunda-feira, 14 de dezembro de 2015 09:01:00 BRST

***********************************************

14.12.15

Filomena Gonçalves

 Filomena Gonçalves, agora o livrinho esta completo. Um dia vamos reedita-lo com suas ilustrações. Combinado?

Filomena Gonçalves
Filomena Gonçalves Combinado!

Crônica diária

A verdade esta no vinho

"In vino veritas", ficou mais uma vez demonstrada sua autenticidade. Não teria a senadora recém casada, Ministra da Agricultura Kátia Abreu se manifestado de forma mais loquaz quanto foi, ao ser perguntada pelo senador José Serra, se era muito namoradeira. Não era segredo para ninguém, pois ela própria declarou-se namoradeira numa reportagem da revista Claudia em 2011. A taça de vinho jogada no senador vem confirmar o óbvio: "In vino veritas".( A verdade esta no vinho).

13.12.15

Quatro anos atrás

Em 10 de Dezembro de 2011 postei agradecimentos aos amigos que se manifestaram pela morte da minha mãe. O desenho acima é dela quando era estudante.

Crônica diária

Não vai dar certo

Ânimos quentes não se esfriam com vinho. Num jantar com Temer, os senadores José Serra e Kátia Abreu (que é também Ministra da Agricultura) se estranharam. Pudera, o Serra, em tom de brincadeira, disse que a Ministra tem fama de namoradeira. Ela reagiu, pedindo a ele respeito, porque é casada, e jogou uma taça de vinho no senador. Por outro lado, e na mesma semana, deputados se engalfinharam no plenário da câmara e destruíram urnas eletrônicas. Na comissão de ética e "decoro parlamentar", pasmem os senhores, Wellington Roberto, do PR, e Zé Geraldo, do PT tiveram que ser segurados pelos companheiros, para não se estapearem. Os ânimos estão quentes. A questão deixou de ser ideológica como no passado. Agora se briga pela permanência ou não da Dilma, ou do Eduardo Cunha. Parece que os problemas do país se resumem a dois nomes. Duas pessoas, uma ex terrorista e assaltante de banco, e o outro investigado pela operação Lava Jato, por ter recebido pixuleco da Petrobras, e ter mentido na CPI da mesma, quando afirmou não possuir contas no exterior. De fato contas não possui. Possui muitos dólares advindos de "carne enlatada vendida na África". Resumindo, a república esta limitada à Delcídio do Amaral, senador e líder do governo na cadeia. Onde André, banqueiro, também esteve. Serra encharcado de vinho, Ministra namoradeira, Presidente ex guerrilheira, e deputados com nomes de dupla caipira: Zé Geraldo e Wellington Roberto. O insucesso é previsível.

12.12.15

Eduarda e Glória

Minhas netas de batom. Foto Ana Elisa Sestini, avó.

Crônica diária

PT, saúva brasileira

O governo tinha pressa. Chegou a cogitar cancelar o recesso parlamentar para que o impeachment fosse rapidamente votado. Um juiz do STF, Edson Fachin, um dilmista de carteirinha, acatando um mandato de segurança do PCdoB, paralisou os trabalhos da comissão, que nem chegou a se reunir. Se dia 16 o pleno do STF não decidir a matéria proposta por Fachin, só depois do recesso do judiciário, em Fevereiro, a comissão poderá iniciar seus trabalhos. Era tudo que o governo não queria. É o pior dos mundos. Entrar em 2016 com indefinições de todas as ordens. A economia estagnada, a recessão e desemprego em alta, e a crise política se aprofundando. Sem a saída rápida da presidente, por renúncia, impeachment, ou cassação pelo TRE, não haverá condições de pacificação política. A crise é a Dilma. Com ela o país cairá no abismo. Em Fevereiro é possível que o TRE casse a chapa do PT. Houve crime eleitoral. Dilma e Temer ficam inelegíveis por oito anos. Se até lá o Eduardo Cunha, presidente da câmara, ainda estiver nessa condição, assume a presidência e em noventa dias uma nova eleição designará o presidente. Acontece que em Outubro de 2016 já temos eleições marcadas  para prefeitos e vereadores. O ano que vem estaria completamente contaminado. 2017 será curto para qualquer presidente reorganizar o país para enfrentar novo pleito em 2018. Logo, perdemos quatro anos. Para um país como o Brasil, é como sair de uma longa guerra. Terra arrasada. Política e economicamente. Esse é o saldo de dezesseis anos de governo petista. Como diziam sobre a formiga saúva, ou se acaba com ela ou ela acaba com o Brasil. 

Comentários que valem um post



João Menéres deixou um novo comentário sobre a sua postagem "A mocinha":

Para mim, a Eduarda é, e será sempre, muito linda !
Também já conheço daqui há pelo menos seis anos ...

Um beijo para ela e um abraço para o vôvô EDU, todo babado.

Postado por João Menéres no blog . em sexta-feira, 11 de dezembro de 2015 09:54:00 BRST 


******************************************** 
 Li Ferreira Nhan deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Crônica diária":

Edu, sua crônica hoje está ótima! Adoro qdo seu humor inteligente vem acompanhado da mais fina ironia!

Postado por Li Ferreira Nhan no blog . em sexta-feira, 11 de dezembro de 2015 14:47:00 BRST 


******************************************************************

11.12.15

A mocinha

Com foto da avó, Ana Elisa Sestini, a minha neta mais velha, Eduarda.

Crônica diária

Verba volant...

A presidente, ao iniciar a leitura da carta pessoal do Temer, deparou com um pedido de "verba" inédito. É comum receber de políticos pedidos de verbas variadas. "Volant" foi a primeira vez. Chamou seu fiel escudeiro (até que o Japonês o convide para ir a Curitiba) e perguntou do que se tratava. Edinho, obscuro e mal barbeado político caipira paulista, também não sabia do que se tratava tal "verba". Ligou para o baiano Jaques Wagner, mas ele já havia deixado o gabinete da Casa Civil. Sobrou o Levy, Ministro da Fazenda, que certamente entende de "verba". Fez economia e não é muito versado em latim. Recomendou o Ministro da Justiça, Eduardo Cardoso que tirou de letra: "As palavras voam". Dilma continuou não entendendo nada. Não importa, a carta já não era pessoal e logo o Brasil ficou sabendo. E essas palavras não voam, estão escritas. "scripta manent".

Comentários que valem um post

Li Ferreira Nhan deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Crônica diária": Vergonhoso e preocupante o que assistimos:
na troca de favores ao pt o Fachin decide atrasar o processo de impeachment. Quem está metendo os pés pelas mãos, enterrando aquele discurso mentiroso "da luta pela ética e moralidade", são os acusadores de que o impedimento da presidente se trata de um golpe.    

Postado por Li Ferreira Nhan no blog . em quinta-feira, 10 de dezembro de 2015 03:04:00 BRST 


*****************************
Li Ferreira Nhan deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Crônica diária":

Edu, o denominador comum dessas pessoas é a prepotência, intolerância, fanatismo e o autoritarismo. E, quando a questão é fazer prevalecer o ponto de vista deles, ficam cegos no discurso fanático. E então, nessa cegueira, deixam escapar o verdadeiro ser espiritualizado e nada amoroso que habitam neles. Essa gente necessita de platéia útil; falar e pregar a ouvidos crédulos.          

Postado por Li Ferreira Nhan no blog . em quinta-feira, 10 de dezembro de 2015 02:29:00 BRST


************************************************** 


 
Jorge Pinheiro deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Anjinho":

Nestas idades ainda se voa.

Postado por Jorge Pinheiro no blog . em quinta-feira, 10 de dezembro de 2015 09:46:00 BRST 
*************************************************************************************** 

Ery Roberto Corrêa Eduardo Penteado, o que me trinca é que você fala verdades incontestáveis sobre esse governo e essa situação política, entretanto ainda vejo por aqui pelo Face que é muito difícil os fieis da seita compreenderem um mínimo do que a maioria vê e diz. Causa-me um grande espanto este fato. Será ignorância ou fundamentalismo partidário?

************************************************************************************* 

10.12.15

Anjinho

A tia Renata não aguentou esperar o natal para dar de presente para a Lara umas asinhas. Ela adorou.

Crônica diária

 Aos legalistas inconsequentes

Escrevemos sobre o estelionato eleitoral desde Novembro do ano passado. A situação do país era ruim depois de quatro anos de governo Dilma, mas piorou muito. Ela demonstrou durante toda sua vida ser despreparada para gerir. Quebrou uma pequena loja de R$1,99. Aprovou a compra de Pasadena. Assaltou bancos como guerrilheira. Assaltou o tesouro, usando dinheiro público sem autorização do Congresso. Crime de responsabilidade fiscal. Cometeu pedaladas em 2014 para se reeleger. Usou dinheiro sujo na campanha. Voltou a cometer crime de responsabilidade em 2015 para salvar seus projetos populistas, e grandes empresas privadas, quebradas pelas medidas desastradas do seu governo. Mas sua inabilidade administrativa e gerencial, não são menores do que sua incompetência política. Comprou briga pessoal com o  presidente da câmara, Eduardo Cunha. Usou fartamente redes de TV para acusa-lo de ter conta na Suíça, alegando que ela nunca teve. Ninguém, em tempo algum, acusou-a de ter conta em lugar nenhum. Seus crimes são, incomensuravelmente, maiores. Quebrou o país, destruiu a Petrobras, assaltou os bancos estatais. E no auge da sua briga pessoal contra Cunha, torna publico uma carta pessoal do seu vice-presidente, Michel Temer, a quem declarara, seis horas antes, respeito, e mentiu que nunca o tivesse desprestigiado (como ficou claro na referida carta). Um tiro no pé. Mulher de temperamento irascível, destrata seus subalternos e, consequentemente, não consegue assessores capazes e competentes. O Lula lhe impôs Jaques Wagner como seu Chefe da Casa Civil, e ela o detesta, porque como bom baiano, acorda tarde. Aconselha-se com Edinho Silva, obscuro petista citado na operação Lava Jato. Seu governo esta nos últimos dias, três anos antes do fim, e seus ministros começam a debandar. Aqueles que me censuraram por defender o impeachment, desde os primeiros dias do governo Dilma,  devem estar amargando suas ironias e comentários ácidos que me dirigiram. A mim não fizeram mal, mas contribuíram para doze meses de gravíssimos prejuízos à nação, e ao povo brasileiro. A pseudo legalidade, desta vez, teve um custo social  impagável. Inflação, desemprego, perda no grau de investimento, terão consequências nefastas por muito tempo. O povo, apesar de ter votado nela, por ignorância, não merecia um castigo tão severo. Seus defensores, esses sim, merecem passar o que o futuro nos reserva. Infelizmente a todos. Vamos pagar mais esse pato.

9.12.15

Revista A Temporal - Wesley Duke Lee

Crônica diária

 Há seguidores do EI, do Maduro e do PT

Se há gente no mundo que simpatiza com o Estado Islâmico, o que podemos dizer de alguns que ainda apoiam o PT? Minha querida leitora Li, ontem reclamou de alguns comentários aqui na minha página do FB. Ela me acompanha, mas no blog. Disse textualmente que: "não conhecia esse tipo de cúmplices do governo, que além de raivosa espuma,  destilam ódio em seus comentários; os tais doutores-sementes-espiritualizados que proclamam em suas paginas que "o amor é a maior expressão do espírito humano." Imagino se não fosse!"  Pois é, querida Li, como bom democrata e paciente escriba, sou obrigado a ler comentários desvairados, verdadeiros mantras que os petistas repetem sem noção. Mas, como há gente no mundo, que simpatiza com o Estado Islâmico, gente que segue o Maduro na Venezuela, por que não tolerar esses coitados seguidores do PT?

Comentários que valem um post

Li Ferreira Nhan deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Crônica diária":

Por aqui não podemos esperar mais, nem pensar em 2018; ja há um primeiro demitido e haverá mais outro. Muito, muito triste e perda para ambos os lados.   (Me espanto com alguns comentários nos seus post no face; não conhecia esse tipo de cúmplices do governo que além de raivosa espuma e destila ódio em seus comentários; os tais doutores-sementes-
espiritualizados que proclanam em suas paginas que "o amor é a maior expressão do espírito humano." Imagino se não fosse! Tô fora desse ilustres, sem papo; quero menos dessa turma!)
Mil vezes continuar por aqui no blog!
 
Postado por Li Ferreira Nhan no blog . em terça-feira, 8 de dezembro de 2015 03:07:00 BRST
******************************************************

AS POSTAGENS ANTERIORES ESTÃO NO ARQUIVO AÍ NO LADINHO >>>>>

.

Only select images that you have confirmed that you have the license to use.

Falaram do Varal:

"...o Varal de Ideias é uma referência de como um blog deve ser ." Agnnes

(Caminhos e Atalhos, no mundo dos blogs)

..."parabéns pelo teu exemplo de como realmente se faz um blog...ou melhor tantos e sempre outstandings...".
(Vi Leardi )

Leiam também:

Leiam também:
Click na imagem para conhecer

varal no twitter

Não vá perder sua hora....

Blog não é tudo, tudo é a falta do blog ....
( Peri S.C. adaptando uma frase do Millôr )
" BLOG É A MAIOR DAS VERTIGENS DA SUBJETIVIDADE " - Maria Elisa Guimarães, MEG ( Sub-rosa )