29.12.15

Crônica diária

Wishful thinking , WhatsApp e Uber

1º Só o título desta crônica se refere à modernidade. Ela continua a ser escrita em português do Brasil. Tudo conforme o ultimo acordo ortográfico, sempre que possível. Tenho um leitor no Recife que abusa do termo: "Wishful thinking". Ele  sofre de uma permanente falta de "desejo" que as coisas mudem. É um eterno acomodado. Um dos tais legalistas burocráticos. Com uma personalidade talhada para viver obedientemente nos regimes da Coreia do Norte, ou de Moçambique e Guiné-Bissau. É preciso sonhar, é preciso contestar, é preciso reagir, agir, e ter a coragem de assumir posições de risco. Apostar no quase impossível. Não defender o óbvio, por definição. Não temer mudanças, não deixar que o caos se instale, em nome de princípios relativos. Não se deve matar um urso por puro prazer sanguinário e desumano, mas ao receber um abraço desse animal pelas costas, ou você se livra e mata o bicho, ou morre. É disso que se trata. Estamos no Brasil defendendo a vida de milhões de brasileiros que estão na miséria, ou passarão a fazer parte dela. E quando escrevemos apontando saídas e soluções somos adjetivados de "wishful thinking". 
2º Nesse mesmo país cujo governo federal encontra-se nos seus estertores, apesar de constitucionalmente ainda deter três anos de mandato, delegado por cinquenta e quatro milhões de votos, dos quais, um ano depois das eleições, não conta com o apoio de vinte porcento, a justiça manda tirar do ar o aplicativo WhatsApp. Foi por poucas horas, é verdade, porque medidas atrasadas, dignas do regime da Coreia do Norte, ou de Moçambique e Guiné-Bissau, não poderiam prosperar mais do que algumas horas. Ainda. Motivo da suspensão: detentos e membros do PCC estariam fazendo uso, e a empresa responsável se negando a fornecer nomes. Nosso país esta se alinhando aos mais atrasados do mundo, na linha de proibir o aplicativo do táxi Uber. O prefeito de São Paulo, emérito representante do atraso, proíbe o Uber, e cria, ele próprio, um novo táxi. Serão pretos. Só e unicamente a cor dos veículos será parecida com os do Uber. O preço da tarifa, que é o que importa, além de um bom serviço, será mais cara do que o táxi comum. Outro absurdo desse Prefeito são as faixas vermelhas pintadas nas ruas e avenidas, chamadas de ciclovias, ajudando a congestionar o transito. Berlim é toda servida por ciclovias, porque é totalmente plana, e elas não ocupam as pistas dos autos motorizados nem as calçadas dos pedestres. Foram planejadas. São Paulo não tem essa vocação por conta da topografia. Aqui estamos mais para alpinistas do que para ciclistas.

Um comentário:

Jorge Pinheiro disse...

A coabitação das bicicletas com automóveis não é fácil.

AS POSTAGENS ANTERIORES ESTÃO NO ARQUIVO AÍ NO LADINHO >>>>>

.

Only select images that you have confirmed that you have the license to use.

Falaram do Varal:

"...o Varal de Ideias é uma referência de como um blog deve ser ." Agnnes

(Caminhos e Atalhos, no mundo dos blogs)

..."parabéns pelo teu exemplo de como realmente se faz um blog...ou melhor tantos e sempre outstandings...".
(Vi Leardi )

Leiam também:

Leiam também:
Click na imagem para conhecer

varal no twitter

Não vá perder sua hora....

Blog não é tudo, tudo é a falta do blog ....
( Peri S.C. adaptando uma frase do Millôr )
" BLOG É A MAIOR DAS VERTIGENS DA SUBJETIVIDADE " - Maria Elisa Guimarães, MEG ( Sub-rosa )