31.10.08

"PODE ME TOCAR"

Da SÉRIE ORGANO HUMANO, OU ORGÃO HUMANO , OU HUMANOS ENGANOS
"PODE ME TOCAR" 2001,
Esta escultura em ARGILA + VERMICULITA +CIMENTO tem como título: " PODE ME TOCAR". O artista sempre sentiu a necessidade de fazer uma peça em que os observadores pudessem TOCAR , coisa ABSOLUTAMENTE PROIBIDA em TODOS os MUSEUS do MUNDO, e desejado por todo ser humano ao apreciar uma esculura.
Esta aqui é para ser tocada, acariciada, sentida visual e tatilmente.
Tem três elementos na sua composição :
Base de granito preto com 10 cm .
Espuma de borracha com 5 cm de espessura..
A escultura propriamente dita com 15cm de altura, por 23x32cm.
Ela pode ser acomodada na espuma de borracha de um lado ou de outro, como se vê nas fotos abaixo:


Essa escultura encontra-se em São Paulo, na coleção do artista. Postado no MAP- Museu de Arte Piacaba em 29 de abril de 2007, depois do VARAL DE IDÉIA.

VARAL DO DIA


GASPAR DE JESUS - Varal em Miragaia -

O Centro Pompidou


Arquitetura - O Centro Pompidou

O Centro Georges Pompidou (Centre national d'art et de culture Georges-Pompidou) é um complexo fundado em 1977 em Paris, França, que abriga museu, biblioteca, teatros, entre outros equipamentos culturais. O centro anexou recentemente o Atelier Brancusi que abriga esculturas do artista romeno Constantin Brancusi em um ambiente que recria as condições de trabalho e a luminosidade de seu estúdio de criação.
Foi desenhado pelo arquiteto italiano Renzo Piano e pelo arquiteto também Italiano naturalizado britânico Richard Rogers. O projeto foi considerado extremamente arrojado, sendo inserido em um momento de crise da arquitetura moderna, embora tenha sido bastante criticado. Alguns teóricos afirmam que o Centro (tanto pela sua arquitetura quanto pela sua proposta) é um dos marcos do início da pós-modernidade nas artes. Sua implantação configura a existência de um espaço público (a praça do Centro) para o qual as suas atividades internas se estendem.
O Centro Pompidou é um dos principais exemplos da arquitetura high-tech, uma tendência dos anos 70 e que continua a ser explorada até hoje e se inspira na arquitetura industrial e nas novas tecnologias. A arquitetura high tech utiliza os elementos tecnológicos como objetos estéticos.
(Com colaboração de Catharina Mafra)
(Fonte: Wikipedia)
Noblat

AUGUSTE RENOIR


Pintura - Menina com regador - Pierre Auguste Renoir
Menina com regador - Pierre Auguste Renoir - 1876.
A menina com o regador, um dos primeiros retratos de Renoir, possui todo o encanto da retratada,a qual ,delicadamente atenuada,é vista sem sentimentalismo,mas com evidente satisfação.Renoir abaixa-se à altura da criança de modo que olhamos o mundo a partir da própria estatura da menina.Esse sugere o artista ,é o mundo que os pequenos vêem,não o jardim real que os adultos enxergam hoje,mas o jardim nostálgico que eles guardam na memória da infância.
A criança está docemente cônscia de sua importância.Embora seja uma figura sólida ,apresenta-se com o frágil encanto das flores. Os pés pequenos e firmes, enfiados nas práticas botinhas , estão de algum modo enraizados no jardim, e a renda do vestido harmoniza-se com as flores; assim, também a menina é decorativa.
(Fonte Arte Escola)
(Com colaboração de Catharina Mafra)
Noblat

DUAS PALAVRAS NO VARAL - Ricardo Blauth


DO RUPESTRE AO MEGA STORE

Está perdido no tempo o momento exato, não o medido geologicamente, em que, aquele que viria ser o humano atual, fez o primeiro registro sobre as rochas que o rodeavam. Qual animal delimitando seu território, aquele ser específico, quis algo mais que uma marca territorial. Quis, acredito gravar algo para ele próprio ver novamente.
.
Utilizando o que dispunha, ficou lá, até hoje sua história. Outros, seguindo seu exemplo acrescentaram mais, em diversos outros locais através dos tempos.

Surgiram depois, muito depois, símbolos, grafias diversas, desenhos vários, em todos os lugares e povos do planeta. Um desconhecendo o de outros, culturas diferentes, mas todos, seres humanos, ansiosos em deixar para posterioridade ou para uso e benefício próprio, registros importantes.

Num outro momento mais adiante ainda, estes desenhos, símbolos foram se sofisticando e encontrando novas maneiras de se preservar. Era o inicio dos conhecimentos sendo assentados, assinalados e transmitidos.

Símbolos de poder daqueles poucos que dominavam a técnica de realizar estes registros e posteriormente ler o que ali manualmente ficava gravado, pintado, marcado, esculpido.

Mais tempo se passou até que a imaginação e necessidade humana fez surgir os tipos moveis, proporcionando a reprodução em série e consequentemente tornando mais disponível a um grande numero de pessoas informações que trouxeram o ser humano, cada vez com maior rapidez, até o momento atual.

O livro impresso é hoje uma ferramenta imprescindível ao ser humano.

Livros de histórias, manuais, diários, biografias, registros, documentos, necessitam ser consultados para conferencias, estudados para aprendizagem ou para serem lidos prazerosamente.

O livro nos serve, e serve bem, muito bem. Não trava, não precisa de reiniciação, energia elétrica, ou maior espaço do que aquele que suas mãos conseguem segurar, Os livros tem cheiros característicos, seu tato é agradável e seu transporte facilitado.

O livro serve a todos, todos os dias. Não pede nem exige folga ou dia próprio. Não recusa nunca as suas letras ali transformadas em palavras. Apesar de você poder adquirir o seu, você os disponibiliza em bibliotecas publicas ou de amigos prestimosos.

O livro é seu, é meu, é de todos O GRANDE AMIGO. cada vez com maior rapidez

Viva o LIVRO.

TODOS OS DIAS.

Ricardo Blauth

KIRA LUÁ em Canelas - VISCERAL

Espero você no dia 5 de outubro ás 20:30h
no Hall do Teatro Municipal de Canela
Estarei lançando um DVD sobre o meu processo de criação
criação e Produção do DVD
Pokís e Giulia Palermo ( meus filhos)
Trilha sonora de Claudio Ott
Tiago Melo- Diretor do Departamento de Cultura de Canela

FOTO DO PERFIL

Philippe Halsman



Fotografia - Dalí de um olho só, de Philippe Halsman
Dalí de um olho só - Philippe Halsman - 1954.
Fotógrafo russo, nasceu em 1906, em Riga, desenvolvendo os seus estudos na área da Engenharia. Quando vai para Paris em 1928, dedica-se à fotografia de moda e ao retrato. Emigra para os Estados Unidos da América em 1940 onde trabalha para a revista Life . Amigo de Salvador Dali, trabalhou com o pintor em diferentes projectos durante mais de trinta anos. Este trabalho conjunto acaba por influenciar os trabalhos fotográficos de Halsman. É considerado um dos mais criativos e originais fotógrafos do século XX. Morreu em 1979, em Nova Iorque.
(Fonte Infopédia)
Noblat

HUMOR NO VARA


30.10.08

Da série AMA-SEX-ZONIA


AMA-SEX-ZONIA - 1974 - Acrílica sobre tela - 70X50 cm -E.P.L.
Já postada no Varal em 2007, e no blog MAP- Museu de Arte Piacaba

VARAL do DIA


Marrocos- 2008 - E.P.L.

GRUPO REX - Rex Gallery



GRUPO REX

REX GALLERY & SONS
junho de 1966 a maio de 1967

Irreverente, iconoclasta, ruidoso, polêmico, e...... efêmero.
O Grupo REX, da mesma forma que surgiu, também desapareceu: gerando polêmica, causando tumulto.À origem desta cooperativa artística paulista relaciona-se ao episódio em que Wesley Duke Lee, Nelson Leirner e Geraldo de Barros retiraram suas obras da exposição coletiva Propostas 65, em protesto e em solidariedade ao artista Décio Bar que teve alguns de seus trabalhos censuradas pelo regime militar. Teria sido justamente após este incidente, que estes artistas decidiram não apenas formar um grupo, mas abrir uma galeria e publicar um jornal, como ‘frentes de luta’, para questionar e combater a mistificação da arte e o circuito se formava em torno dela: galerias, marchands, críticos, mídia. Poucos meses antes deste episódio, em setembro de 1965, Nelson Leirner e Geraldo de Barros já haviam declarado ‘guerra’ também ao predomínio da abstração, em uma exposição conjunta na Galeria Atrium, em São Paulo; na qual apresentavam uma série de objetos. Sendo assim, em 03 de junho de 1966, dava-se o ‘happening’ de inauguração da REX Gallery & Sons.
E como não poderia deixar de ser, polêmica gerou, e tumulto causou. E para aqueles que não haviam comparecido, a edição no.01 do REX Time - leia-se exatamente como se escreve -, avisava : "É a Guerra !"; expunha, de maneira explícita, as pretensões do grupo: vincular a experimentação de linguagens, materiais e suportes às possibilidades de uma arte participante; a intenção de se comunicar com o público, de forma mais imediata e através de métodos menos convencionais; bem como, de elaborar uma crítica séria ao processo de mistificação da obra de arte. Para tanto, além de realizar palestras e exposições coletivas dos membros do grupo ou de artistas convidados como Carmela Grozs e Marcelo Nitsche, procuravam divulgar e informar suas idéias e propostas estéticas através da publicação do REX Time.
E, se local para o funcionamento da galeria, em uma parte da loja de móveis, a Hobjeto, na rua Iguatemi 960, fora cedido por Geraldo de Barros, um dos proprietários da mesma; o nome, REX, fora sugerido por Wesley Duke Lee. Segundo sua Theoria REX, surgida nos anos de Realismo Mágico, REX representava: “uma atitude de vida, com grande sentido interior e que se baseava no uso do banal. Sem medo das circunstâncias, por mais absurdo que possa ser, e que sempre corresponde a uma ordem interna”. Já quanto a irreverência do grupo, coube a Nelson Leirner o destaque como seu maior expoente: suas exposições que se transformavam em ‘happenings’; quando não, em caso de polícia. Diante da escassez de público e das dificuldades financeiras pelas quais passava a galeria, e o país como um todo, um ano após sua inauguração, seus fundadores convidavam ao público para a exposição de seu encerramento: a “Exposição-Não-Exposição” de Nelson Leirner. No entanto, no convite, este mesmo público era convidado a levar todos os objetos que estivessem expostos na galeria, desde que conseguissem. Já que vários obstáculos haviam sido instalados para dificultar a operação: barras de ferro, blocos de cimento armado, grossas correntes e cadeados, 'ajudados' por um apagão não intencional no local, acabou conduzindo a polícia para o evento apenas oito minutos após o início. Seja como for, este episódio, assim como a singularidade da REX Gallery & Sons, apesar de sua breve existência, marcaram a história das artes visuais do país.
Ana Claudia S. Pelegrini(bolsista PIBIC/CNPq)
Profa. Dra. Daisy V. M. Peccinini de Alvarado(coordenadora do projeto)
Fonte: Internet

Caminhar, descobrir e registrar, taí uma proposta interessante.




Enviado por Claudio Boczon

FOTO DO PERFIL

Zeng Fanzhi


Visitante observa trabalho de pintor chinês Zeng Fanzhi que será leiloado na Christie's por até US$ 4 mi, em Hong Kong, na China (11h52) Leia mais
Enviado por Alice Salles

e-mail no VARAL

bjs "portugueses" a todos....

ARTE

"Atividade que supõe a criação de sensações ou de estados de espíritos, de caráter estético, carregadas de vivência pessoal e profunda, podendo suscitar em outrem o desejo de prolongamento ou renovação".
Aurélio

Enviado por Israel Kislansky

HUMOR NO VARAL

29.10.08

Natal em OUTUBRO...

Estive uns poucos dias na cidade de São Paulo, onde fui VOTAR no segundo turno das eleições municipais, e fiquei impressionado que nos últimos dias de Outubro já se preparam o Natal de 2008. A crise certamente apanhará o velhinho meio desprevenido, este ano. Ele ainda estava de avental , martelo e chave de parafusos, organizando a festa natalina de Dezembro. Espero estar errado, e que o comércio fature o que preve. E se este ainda não for magro, com certeza o de 2009 será! Não a crise que não abale Papai, ou mamãe Noel!


Espero estar redondamente errado. Foto: E.P.L.

VARAL DO DIA

Festa no Campo - JORGE FERREIRA PINHEIRO

BANKSY, outra vez...


Quoted from: Banksy - artystyczny guerrila
art.blox.pl/resource/banksy7ok.jpg

FOTO DO PERFIL

August Sander


Fotografia - Jovens fazendeiros, de August Sander
Jovens fazendeiros – August Sander – 1914.
A partir de 1912, August Sander fez a crônica da vida na Alemanha por uma série de retratos de fazendeiros, estudantes e sacerdotes. Uma delas é a foto acima.
Suas fotos de artistas e pessoas pobres tiradas na década de 20 chegaram a ser destruídas pelos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial.
Fotógrafo alemão, August Sander nasceu em Herdorf, na Alemanha, em 1876. Com 13 anos começa a trabalhar com aprendiz de mineiro. Três anos mais tarde recebe uma câmara fotográfica, com a qual começa a fotografar nos seus tempos livres, revelando os negativos num laboratório construído por ele mesmo.
Depois de concluir o serviço militar, começa a trabalhar profissionalmente na fotografia.
(Fontes e mais informações em BBC e Infopédia)
(Com colaboração de Catharina Mafra)
Noblat

e-mail no VARAL


Hehehehehe!!!!
Olhem a foto que saiu no La Nacion, suplemento de turismo, de 19 de outubro.
Legenda: "Henri y Karen en Ponta da Piteira"
Hahahahahahaha!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Bjs a todos,
Karen
PONTA DA PITEIRA é a mais sofisticada e exclusiva hospedaria da região do Rosa e Ibiraquera.

HUMOR no VARAL

28.10.08

Aprendendo a desenhar - Arte digital II

E.P.L. ( Retrato em vermelho )

VARAL DO DIA

Enviada pela amiga Nilda do Blog Meu Cantin

Rembrandt no El Prado


El Prado
Betsabé. Óleo sobre lienzo, 142 x 142 cm 1654. París, Musée du Louvre. Compuesta por 35 pinturas y 5 estampas procedentes de veinte puntos distintos de Europa y Estados Unidos, la exposición, se centra en a la figura de Rembrandt como pintor narrador. Aunque el maestro de Leiden fue también un gran pintor de retratos y de paisajes, su faceta como pintor de historia muestra con especial claridad la forma en la que su arte emana de la tradición de la pintura renacentista europea.
20minutos

FOTÓGRAFO - Wagner Campelo

A amiga Georgia nos enviou o link deste seu amigo e Fotógrafo WAGNER CAMPELO, cuja foto tem tudo a ver! Conheça seu site: aqui

FOTO DO PERFIL

e-mail no VARAL

“Concílio da Páscoa/ Burocracias”
técnica mista (acrílico e grafite) sobre papel, 118,8x84,1cm
Serve esta mensagem para dar notícia da inauguração da exposição de artes plásticas intitulada "6 cadeiras e 1 mesa", agendada para a 21h 30m da próxima 6ª feira, dia 31 do corrente mês na Galeria Municipal de Almada.
Serve também como convite para a dita inauguração.
Informação adicional sobre este acontecimento deslumbrante pode ser consultada neste Blogue http://carrapaustaline.blogspot.com/.
Os últimos 6 posts neste Blogue referem-se a cada um dos participantes na exposição. David Castanheira, Filipa Rebordão, João Gaspar, Luís Miranda, Rui Silvares e Sara Bichão. Para simplificar ficam acima hiperligações para o post relativo a cada um dos nomes. Têm todos imagens e pequenos textos... enfim, informação completa.
Espero ver-te por lá.
Até sexta.
Silvares

DAN FIALDINI - Livro ARTE NA PEDRA


VIA DAS ARTES convida para o Lançamento do

LIVRO DE DAN FIALDINI - ARTE NA PEDRA

Dia 29 de Outubro

Instituto Moreira Salles - Rua Piauí, 844, 1º andar, Higienópolis SP.

HUMOR NO VARAL

27.10.08

"Mão na crise" - Objeto da Série Achados na Praia, e outros"


" MÃO NA CRISE " - Tábua de carne, velha,
pedaço de caixa Beira Rio, plástico (achados na praia), e minha mão em selicone.
37x23x49cm

Dois detalhes do mesmo OBJETO, um com fundo preto, outro fundo branco.
Outubro 2008 - Fotos E.P.L.

VARAL DO DIA

TANIA HELENA BEER - Varal modesto -

"ABRE ASPAS" blogagem Coletiva - POESIAS



Vinicius de Moraes

A mulher que passa

Meu Deus,eu quero a mulher que passa
Seu dorso frio é um campo de lírios
Tem sete cores nos seus cabelos
Sete esperanças na boca fresca!

Oh! como és linda, mulher que passas

Que me sacias e suplicias
Dentro das noites, dentro dos dias!
Teus sentimentos são poesia
Teus sofrimentos, melancolia.
Teus pelos leves são relva boa
Fresca e macia.
Teus belos braços são cisnes mansos
Longe das vozes da ventania.

Meu Deus, eu quero a mulher que passa!
Como te adoro, mulher que passas


Que vens e passas, que me sacias
Dentro das noites, dentro dos dias!
Por que me faltas, se te procuro?
Por que me odeias quando te juro
Que te perdia se me encontravas
E me concontrava se te perdias?

Por que não voltas, mulher que passas?

Por que não enches a minha vida?
Por que não voltas, mulher querida
Sempre perdida, nunca encontrada?
Por que não voltas à minha vida
Para o que sofro não ser desgraça?

Meu Deus, eu quero a mulher que passa!
Eu quero-a agora, sem mais demora
A minha amada mulher que passa!

Que fica e passa, que pacífica
Que é tanto pura como devassa
Que bóia leve como a cortiça
E tem raízes como a fumaça.

Vinicius de Moraes

Biografia
Poeta, compositor, intérprete e diplomata brasileiro, nasceu no Rio em 19/10/13 e faleceu na mesma cidade em 09/07/80. Escreveu seu primeiro poema aos sete anos. Fez curso de Direito no Rio e de Literatura Inglesa em Oxford. Ingressou na carreira diplomática, por concurso, em 1943, tendo servido como vice-cônsul em Los Angeles (1947-50), o que abriu sua temática, posteriormente enriquecida pelo seu interesse em teatro e cinema. Serviu também em Paris (duas vezes) e Montevidéu.
Interessado em cinema desde estudante, foi crítico e censor cinematográfico. Como delegado brasileiro, participou de vários festivais internacionais de cinema (Cannes, Berlim, Locarno, Veneza e Punta del Leste) e, em 1966, foi membro do Júri Internacional de Cannes).
Aos 19 anos publica seu primeiro livro de versos, Caminho para a Distância, e aos 22, Forma e Exegese (ganhador do Prêmio Felipe d'Oliveira de 1935). Em 1936 sai Ariana, a Mulher, que é o apogeu de sua primeira fase, impregnada de sentido místico. Começou então a usar uma sintaxe mais popular, e sua lírica se carrega de sensualismo a partir de Cinco Elegias (1938) e Poemas, Sonetos e Baladas (1948), enriquecendo-se depois com temas de sentido social. Publica também Livro de Sonetos, Procura-se uma Rosa e Para Viver um Grande Amor. O lirismo (muitas vezes sensual) é a sua marca registrada.
Seu drama Orfeu da Conceição (1953), montado para o teatro em 1956 e transposto para o cinema por Macel Camus em 1959 (como Orfeu Negro), ganhou neste ano a Palma de Ouro do Festival de Cannes e o Oscar de Hollywood como o melhor filme estrangeiro.
Na década de 60 junta-se a jovens músicos no movimento conhecido como Bossa Nova, mesclando elementos de samba e jazz. Comporia, junto com Tom Jobim, a música Garota de Ipanema, símbolo de uma época. Uma grande quantidade de poemas seus foi posteriormente musicada.
Escreveu também poesias infantis.
por Paulo Torquato Tasso

Sosikles


Escultura - A Amazona ferida, de Sosikles
A Amazona ferida – Sosikles – Sec. V A.C (Museus Capitolino).
Os Museus Capitolinos são um conjunto de palácios romanos que abrigam uma vasta e importantíssima coleção de obras de arte.
Sosikles foi um escultor do Helenismo que atuou em Roma como copista de obras célebres. Seu trabalho é conhecido por uma assinatura encontrada em um plinto em Tusculum e em uma estátua de amazona hoje na coleção dos Museus Capitolinos, que é um dos três tipos clássicos de representação das amazonas.
(Fonte: Wikipédia)
(Com colaboração de Catharina Mafra)
Noblat

João Menéres prticipando do "ENTRE ASPAS"


VOZ ACTIVA

Canta, poeta, canta!
Violenta o silêncio conformado.
Cega com outra luz a luz do dia.
Desassossega o mundo sossegado.
Ensina a cada alma a sua rebeldia.

Miguel Torga

(1907-1995)Miguel Torga é o pseudónimo literário pelo qual ficou conhecido AdolfoCorreia da Rocha, médico, natural de São Martinho da Anta/Portugal.
A sua vasta obra (Prosa e Poesia) encontra-se traduzida em diversas línguas.
Muitos prémios recebeu.
Destaco três:
1976 - Grande Prémio Internacional de Poesia das Bienais InternacionaisKnokke-Heist.
1981 - Prémio Montaigne (Alemanha).
1989 - Prémio Camões.
POSTAGEM DE JOÃO MENÉRES.

Raoul Dufy


Pintura - Regatta at Cowes, de Raoul Dufy
Raoul Dufy, Regatta at Cowes, (1934), Washington D.C. National Gallery of Art.
No quadro "Regatta at Cowes" de 1934, um conjunto de barcos à vela disputa uma regata. As linhas expressionistas típicas do estilo de Dufy sugerem o movimento ondulante dos bascos na água. As velas amarelo vivo ao centro contrastam com o azul do mar e do céu e dão à obra uma sensação de joie de vivre. Num período em que muitos artistas abordavam temas dominados pela angústia, Dufy trabalhava sobre paisagens marítimas e terrestres decorativas.
A Coloração viva e a aplicação expressionista da tintarevelam o fauvismo de Dufy, que participou na primeira exibição do grupo, em 1905, e que trabalhou em conjunto com Derain. Dufy foi profundamente influenciado pela utilização que Matisse fazia das áreas planas de cores puras, rigorosamente sobrepostas. Raoul Dufy nasceu em Le Havre, França, em 1877 e morreu em Forcalquier em 1953.
(Com colaboração de Catharina Mafra)
(Fonte Século Prodigioso)
Noblat

AS POSTAGENS ANTERIORES ESTÃO NO ARQUIVO AÍ NO LADINHO >>>>>

.

Only select images that you have confirmed that you have the license to use.

Falaram do Varal:

"...o Varal de Ideias é uma referência de como um blog deve ser ." Agnnes

(Caminhos e Atalhos, no mundo dos blogs)

..."parabéns pelo teu exemplo de como realmente se faz um blog...ou melhor tantos e sempre outstandings...".
(Vi Leardi )

Leiam também:

Leiam também:
Click na imagem para conhecer

varal no twitter

Não vá perder sua hora....

Blog não é tudo, tudo é a falta do blog ....
( Peri S.C. adaptando uma frase do Millôr )
" BLOG É A MAIOR DAS VERTIGENS DA SUBJETIVIDADE " - Maria Elisa Guimarães, MEG ( Sub-rosa )